Jeff Bezos depois de 27 anos deixa de ser CEO da Amazon

Jeff Bezos sai de cena como CEO depois de 27 anos desde a criação da Amazon em 5 de julho de 1994.

Jeff Bezos
Jeff Bezos - Foto: Reprodução/Instagram


O fundador da Amazon, Jeff Bezos, um dos grandes nomes do empreendedorismo que inclusive já foi considerado o CEO mais insubstítuível do mundo de acordo com a Forbes, abre mão do cargo de CEOna empresa que criou há 27 anos, em 5 de julho de 1994.

Ele passa a bola agora para Andy Jassy, que era CEO da Amazon Web Services (a plataforma de computação em nuvem da empresa), mas, continua na companhia ocupando o cargo de presidente-executivo do conselho. 

Jeff Bezos foi pioneiro e definiu todas as regras do jogo do e-commerce que hoje conhecemos. Ele se dedicará a outros negócios como a Blue Origin que é sua empresa aeroespacial, suas entidades Day One e Earth Fund e também ao jornal "Washington Post" ao qual é dono desde 2013.

Uma grande empresa no mundo afora, ela se tornou de excelência graças ao grande esforço de Bezos no que diz respeito a atendimento e experiência do cliente de forma grandiosa.

Criaram também o amado companheiro de leitores, o Kindle que é um dispositivo de leitura para E-books, e a maravilhosa Alexa que é um dispositivo Smart Speaker que contempla IA com assistente de voz e também de automação residencial (no caso da EchoDot).

Jeff Bezos se consolidou como gigante do e-commerce, sendo considerado o homem mais rico do mundo com uma fortuna estimada em U$199 bilhões segundo o índice de bilionários da Bloomberg, e a Amazon avaliada em U$ 1,7 TRIlhão

Bezos prega sempre que todos os dias precisam ser enfrentados como "Day One" - aquele primeiro dia com muito sangue nos olhos e raça para o sonho dar certo, e quando perguntaram para ele qual era o segredo do sucesso ele disse: 

"se você está focado na competição, você terá que esperar até que um competidor faça algo. Se você está focado nos clientes, poderá ser pioneiro."

Concordo plenamente quando dizem que é o fim de uma era! Jassy tem uma enorme responsabilidade em manter resultados crescentes, continuar a criar e inovar e buscar diferenciação frente à concorrência que também não é nada mole não!

Ninguém esperava por essa, porém, mais uma vez o mercado mostra que ninguém é insubstituível!


Postar um comentário